Nem a concessionária resolve o defeito do seu carro?

| 19 de abril de 2016 | Nenhum Comentário

Seu carro tem um pepino daqueles, e você não encontra uma oficina capaz de resolver o problema? Então você precisa saber algumas verdades.

Recebo inúmeros relatos diários que demonstram desespero e angustia por parte dos consumidores em busca da solução de defeitos automotivos e posso garantir que o caminho não é diferente do que encontramos em outras áreas, como a médica que demanda muitas vezes a participação de um especialista, mas o que pensar de uma concessionária que não contem em seu quadro tal profissional, ou mesmo que não envia seus colaboradores para os devidos treinamentos oferecidos pela montadora.

CURTA A SOLUÇÃO DE UM PEPINO CABELUDO NO VÍDEO ABAIXO

CONHECIMENTO + LITERATURAS + EQUIPAMENTOS

O conhecimento real, ou seja, de como as coisas realmente funcionam, deve ser baseado preferencialmente em informações oficiais provenientes da industria, conhecimento que deveria estar a disposição de todos os reparadores, como manuais de reparos oficiais da montadora, mas infelizmente essas informações muitas vezes são restritas as concessionárias e o reparador independente precisa se virar nos 30 para consegui-las ou precisará arriscar-se e fazer o seu melhor.

Outro ponto interessante, é que também temos algumas poucas ofertas de literaturas provenientes da industria direcionadas ao mercado aberto, de fácil acesso e que não são amplamente consumidas, pois alguns reparadores pensam que já sabem como as coisas funcionam, mas na verdade estão equivocados e a única forma que conheço para que o consumidor possa conferir tal conhecimento é solicitar que a empresa apresente os certificados “em papel” de treinamentos, cursos e especializações dos reparadores, simples assim, pois verbal é fria e no papel é garantia! Sendo assim tomarei como exemplo um caso recente que ocorreu comigo mesmo, pois ao marcar uma revisão de garantia para um dos meus carros, solicitei a atendente que o profissional que fosse efetuar o serviço tivesse sido treinado sobre aquele procedimento na montadora, mas a verdade é que fui enganado, pois profissional tentou trocar a correia dentada de meu carro através de procedimentos totalmente reprováveis, ou seja, práticas adaptadas e sem uso das ferramentas especiais que enquadrariam o sincronismo de meu motor e para piorar o profissional nem sabia que era necessário o uso destas ferramentas, ridículo!

O conhecimento necessário para o diagnóstico de um defeito complexo ou intermitente é um dos mais valorizados pelos consumidores,  mas muitas  empresas não estão dispostas a investir ou mesmo manter um profissional de alto gabarito, pois para algumas o importante é o giro, sim, itens de giro, como trocas de óleo e reparos de baixa complexidade que dão grande lucro e demandam baixo investimento.

O conhecimento que proporciona a visão profunda dos sistemas automotivos “pode” consumir facilmente R$50.000,00 em investimentos para que uma pessoa realmente saiba como as coisas funcionam, mas será que o consumidor vai mesmo valorizar esse investimento? Será que empresa estará disposta a investir em um segmento de baixo giro e transformar sua oficina em uma UTI?

As literaturas automotivas existentes nas concessionárias não estão disponíveis ao reparador comum do mercado aberto (oficinas independentes), sendo assim o reparador comum precisa investir grandes somas de dinheiro para ter literaturas de qualidade a mão e suas atualizações podem consumir facilmente R$ 3.000,00 ao ano, mas para quem deseja atender defeitos complexos, ter uma literatura de confiança é algo básico, pois ninguém consegue ou deve guardar todos os parâmetros, regras e informações na mente, pois elas mudam dentro dos meus modelos, imagina entre carros diferentes?

Analisador de motores com osciloscópio integrado.

Analisador de motores com osciloscópio integrado.

Um dos equipamentos mais utilizados  hoje em dia para o diagnóstico de problemas eletrônicos é o scanner, mas você precisa atentar ao fato de que a eletrônica também demanda outros equipamentos, e um outro muito necessário também é o osciloscópio, equipamento de alto valor, não só pelo custo, mas pelo que ele entrega ao profissional. Imagine um carro que tem uma falha intermitente, que perde força do motor a 80 KM/H e que não apresenta qualquer leitura irregular ou código de erro via scanner, mas que na verdade sofre com uma interferência vindo lá de perto da lanterna traseira, isso mesmo, lá na lanterna traseira existe um problema em um aterramento que prejudica o funcionamento do motor. Outro problema muito comum é a presença de umidade em conectores elétricos e que novamente o scanner não consegue detectar, mas ao analizar o sinal com um osciloscópio o defeito é pego no pulo!  Temos inúmeros equipamentos a disposição, mas hoje em dia uma concessionária não ter um osciloscópio e um profissional capacitado é algo que pode causar grande estranheza.

CONSUMIDOR EXIGENTE

SOMENTE O CONSUMIDOR PODE MUDAR O MERCADO

Vamos usar como exemplo um caso recente que chegou a nosso conhecimento, onde um Golf ano 2000 já gastou mais de R$ 2.0000,00 em uma concessionária e a falha intermitente do motor persiste.

1 Os valores pagos referentes a falha que não oferecerem a solução devem naturalmente ser restituídos, a não ser que façam parte de manutenções contidas no manual ou outros reparos totalmente distintos. Mas a pergunta que não quer calar é, você exige seus direitos? Você consegue ver um Alemão ou Americano abrindo mão de seus direitos e deixando pra lá?

2 O consumidor precisa interagir com o “gerente” da concessionária e solicitar por escrito que o profissional que atenderá seu carro passou pelos devidos treinamentos junto a montadora, mas eu te pergunto, você fica com vergonha ou acanhado de fazer tal solicitação?

3 O consumidor deve solicitar que a concessionária comprove a existência de literatura técnica,  equipamentos e ferramentas adequadas para o atendimento de seu veículo, mas será que você vai realmente vai exigir isso? Pois deveria, já que está pagando a hora de mão de obra de uma concessionária e não desejará que o profissional se enrole por falta de condições para matar o defeito do seu carro o mais breve possível.

4 O consumidor precisa valer todos os seus direitos e todas suas solicitações devem ser feitas  por escrito junto a concessionária ou oficina, e a fábrica ou proprietário da empresa deve estar ciente de tudo que está ocorrendo, seja pelo 08000 ou preferencialmente por escrito através de polposas observações nas ordens de serviço ou por e-mails enviados aos montes para o responsável. Para finalizar o consumidor não deve abrir mão dos seus direitos em acionar o SACs, PROCON, reclame aqui ou se necessário até mesmo a justiça, pois somente assim as empresas se obrigarão a apresentar todas as condições para que seu problema seja resolvido, pois o CNPJ (empresa) é o responsável por tudo que ocorre ali dentro, tudo mesmo, e por fim lembre-se, não existe almoço grátis, ou seja, se você procura um especialista, esteja preparado para arcar com o valor da consulta.

BANNER ARTIGOS

Tags:

Categoria: Artigos

About the Author ()

Profissional do ramo automotivo, dedicado a fornecer as informações necessárias, para a construção de uma relação positiva entre os consumidores e reparadores.