Perguntas + Frequentes / Já troquei inúmeras peças da injeção eletrônica e continua com alto consumo, o que fazer?

Tirando dúvidas

Trocar peças é uma atitude que deve ser baseada em inúmeros testes, mas infelizmente a substituição de modo *empírico é algo muito comum. Trocar para ver se resolve pode custar caríssimo e causar vários efeitos colaterais, como insônia, raiva ou mesmo depressão ao consumidor. O desejável é que o profissional elimine o básico como o estado físico do motor e sua eficiência mecânica, incluindo compressão, sincronia e vácuo. Os testes básicos geralmente são negligenciados em nome da bela e complicada “eletrônica embarcada”. Ser um fera em eletrônica pode atrapalhar, pois pode induzir ao mergulho direto no uso do Scanner e sair substituindo peças caras que muitas vezes fornecem leituras fora de escala devido a falhas mecânicas do motor e não por defeito na própria peça, ou seja, ela fala a verdade já que o defeito é por exemplo um motor fora de ponto e não um defeito eletrônico. Sendo assim, conversar com o mecânico e pedir que ele vá devagar, e inicie por analisar as partes mecânicas, exaustão e alimentação de combustível e somente depois seguir para a eletrônica, pois caso contrário a conta pode ficar cara e infelizmente é o que mais acontece.

*empírico = trocar para ver se resolve

Confira também os artigos:

diagnostico falhas intermitentes

 

Curta nossa pagina e fique por dentro das novidades!

 

Aproveite e invista em conhecimento!

0271     0272

Posted in: Consumo de combustível