Dr CARRO-TV DESCASCANDO DÚVIDAS #01 COMENTADO

Seja bem vindo, aqui você encontra a porta do mundo automotivo totalmente aberta. A oficina é sua, mas tenha atenção, pois o pepino aqui é repartido em partes iguais e não adianta correr para o banheiro, pois a chave está escondida e você tem que suar a tanga junto com a gente!

PARE TUDO – Assista o vídeo antes de mergulhar no texto abaixo, ou vai sofrer muito.

A vida de um reparador é cheia de emoção, quebra cabeças e um pequeno vício em adrenalina e sentimentos de satisfação gulosa, pois quem nunca comeu melado, logo quer se lambuzar, e a competição entre quem vive de descascar pepino é sadia, mas não se engane, pois quem não usa óculos de proteção pode tomar uma dedada no olho ou um uma lasca de aço rápido a 80 metros por segundo, por isso a placa ao fundo recomendando o uso de óculos de proteção.

VAMOS AO QUE INTERESSA.

Falamos nesse vídeo piloto sobre vários assuntos, menos do cenário e seus ornamentos, mas calma, pois esse texto também não contará os segredos e o motivo de cada objeto, incluindo o cara bonitão que apresenta esse suposto ou (supositório) programa, nada é tão simples assim para quem deseja enfiar o oceano em um coco seco (não verdolento).

Ok, agora que já te enrolei bastante e você já tenha desistido de roubar as palavras antes do vídeo, vamos ao que te trouxe aqui, na linha abaixo, ou ao lado, sei lá!

O dia a dia de uma oficina é intenso e ninguém consegue prever o que vai entrar pela larga porta de uma oficina, seja um carro ou uma pessoa com problemas e o reparador (mecânico, eletricista e assim vai) tem que estar emocionalmente preparado para encarar um dia de trabalho ou de sofrimento. Sim, o sofrimento é muitas vezes regado ao fim, por 12 virgens no paraíso, (mentirinha), não consegui desistir dessa piada besta.

Um pepino do cão chega na oficina. Desculpe, não é isso. Um pepino do cão chupando manga. Agora sim, um pepino do cão chupando manga chega na oficina vestido de pele de cordeiro, é, isso é o mais perto da realidade no dia a dia do reparador, pois todo mundo adora trabalhar apenas com revisões sem complicação, mas a verdade é que o bagacento do bujão saiu, mas não voltou ao lugar, ou quando volta, teima em babar óleo, e o reparador que deu sopa, vai ter que dar um sorriso amarelo para o cliente enquanto aguarda uma resposta sobre a compreensão dele a respeito do valor do cárter novo que o cliente terá que desembolsar, pois ali tinha um pepino, que mostrou a verdadeira face para o reparador, somente no segundo tempo, é isso mesmo, pois o jogo estaria ganho se o reparador enfiasse uma bola dentro do primeiro tempo (inicio do jogo). Você já sabe a resposta, você é o técnico máximo aqui, pois já assistiu o jogo todo no vídeo acima e sabe que o reparador que não canta a bola no começo do jogo, ou seja, que não chama o cliente e o alerta das mazelas do carro antes de desmontar, pode tomar bolada nas costas e ai fica difícil convencer o cliente leigo de que, o que antes estava ótimo, agora é um jogo perdido para o cliente e ele vai ter que pagar o cárter do próprio bolso, ou não, pois se ele gritar “estátua” quem pode acabar bancando a despesa do cárter é o reparador, pois é difícil provar algo, sem provas, por isso o gol tem que ser marcado no primeiro tempo. Bom te enrolei até aqui, mas ainda tem mais, só que vou direto ao assunto.

HFM OU MAF

Hot Film Mass ou Mass Air-Flow são duas peças com tecnologias levemente diferentes, mas que tem a mesma função. O MAF é um sensor de massa de ar mais antigo e perde feio em alguns quesitos para o HFM. Para não esticar muito, imagine que o MAF consegue monitorar a massa de admitida, e o HFM consegue medir a massa admitida e até a perdida, é isso mesmo, imagine que o MAF monitora o ar que entra, mas se o motor empurrar o ar para fora, ou seja, subtrair o ar admitido por causa do movimento das válvulas, a tecnologia do MAF não informará ao módulo de injeção uma conta tão perfeita, mas o magnifico HFM sim, então pense assim, um quilo de ar entrou, mas 100 gramas sairão por causa do movimento das válvulas do cabeçote, é sei, parece estranho, mas isso acontece. No caso do MAF, a informação é única, um quilo entrou e pronto, mas em alguns modelos de HFM a informação pode ser diferente, pois ele medi o fluxo em ambos os sentidos e na minha humilde opinião, isso é mágico. Não vou falar das falhas aqui, pois isso já falei no vídeo, assisti lá.

HOMEM DA CAPA PRETA

É, você amigo reparador vai dizer que o texto aceita tudo, mas o cliente não. Tudo bem, concordo que não esta fácil para ninguém e contrariar um cliente que apenas deseja trocar as pastilhas sem revisar os freios traseiros pode se aborrecer muito com sua insistência em fazer a coisa certa, mas conheço uma empresa do ramo que tem muitas lojas em nosso pais e lá, a giripoca pia, pois se o cliente não deixa, ela declina facilmente da troca das pastilhas, pois com centenas de lojas a coisa complica, e só um padrão eficiente que poderá proteger uma empresa desse tamanho das inúmeras possibilidades que assolam os reparadores atentos ou os desavisados. Mas lembre, só cresce quem sobrevive, e um processo desses pode quebrar uma oficina familiar facilmente, e hoje o cliente é cada vez mais exigente, e só essa exigência tem o poder de acabar com a competição de quem trabalha errado e a troco de trocados, de quem investe e realmente tem o conhecimento. Não existe almoço grátis.

SAI TOTÓ

Acho que fui claro no vídeo, mas só para adoçar, lembre que tem gente que não toma café puro, (eu), e isso da nos nervos, pois a cafeína faz falta, e apenas esse fator já pode ser o carrasco de qualquer vendedor bem intencionado, pois cliente impaciente ou na fissura de cafeína, pode derrubar a aprovação de um orçamento, pois o corpo fala. Trocadilho safado com o nome do livro, leia e compreenderás, ou não, sei lá.

NEGÓCIO QUE GIRA

Bom, minha linguagem te aflige? Tudo bem, mas a verdade é que não ligo, pois tenho como regra o respeito, sim, o respeito com os leigos e as pessoas simples, pois uma linguagem simplista atende ao engenheiro e o leigo, então vamos na simplicidade, pois o troço que gira é o mesmo que o semi eixo, que a junta tripóide, homocinética, “cinética” entre outros nomes para a peça que leva o movimento do cambio para as rodas, e a mensagem é, vai dar zebra se você não considerar que esse troço vai vibrar se você não tomar cuidado, e a exemplo do cárter, depois do pepino pintar, não adianta fazer mágica, pois só o conhecimento de como as coisas realmente funcionam é que podem jogar a favor do reparador. Lembre-se, isso é o inferno de qualquer um que tenta ganhar o pão sem o conhecimento necessário ou sem apoio apoio do capitão (empresa), pois a empresa que vende serviços técnicos tem obrigação de monitorar ou treinar seus colaboradores.

NÃO ACREDITO

Você de quatro esfregando o chão, e olha que pagou para um profissional trocar o óleo, mas ele tremeu e quem se deu mau foi você, então lembre, temos o antes, o procedimento correto e o depois. Esfrega lá!

EU QUE MANDO

Isso, que fique bem claro, você manda, mas mande direito. Não confunda cajú com bumbum. A marca do óleo não é obrigatória e não é só a viscosidade ou se o lubrificante é sintético ou mineral que garantem o produto correto. A especificação é a chave do sucesso, sim, as letrinhas miúdas é que vão garantir a vida longa ao motor e produtos complementares não estão na conta e você vai ser responsável pelo novo resultado, então não invente moda A “especificação” é a chave do sucesso, pois motor não é tudo igual, pelos ao contrário, passa a mão no braço ai.

CLAC FERRADO

É, você pode ouvir dois tipos de estalo, o do torquímetro ou o do cárter de alumínio rachando, escolha seu som de preferência!

OBRIGADO

Até o próximo episódio!

BANNER ARTIGOS