Cheiro de combustível no interior do veículo?

| 8 de novembro de 2013 | Nenhum Comentário

O cheiro de combustível é incomodo, faz mal a sua saúde e esvazia seu bolso, mas aqui você descobre várias soluções para esse problema cosquento. 

Um jovem está com sua namorada em uma rua calma enquanto seu carro é banhado pela luz prateada de uma gigantesca lua cheia, quando o casal percebe um forte cheiro de gasolina que preenche todo o interior do veículo atrapalhando o clima de romance, mas a prevenção é a melhor atitude, e o jovem apaixonado parte em busca do enfadonho cheiro com a ajuda da luz dourada de um esqueiro, e bum. Mas calma, pois o casal já estava fora do carro, e ninguém se queimou, a não ser veículo é claro!

 

 

O cheiro de combustível é um problema grave e que pode ser facilmente resolvido com um pouco de conhecimento sobre o sistema de combustível. Vamos entrar no sistema pela boca de abastecimento e avaliar as possibilidades.

TAMPA DE ABASTECIMENTO.

O frentista abre a tampa de abastecimento, insere o bico no gargalo e esse movimento já pode danificar o encaixe da tampa de abastecimento, o gargalo ou mesmo a guarnição (borracha vedante) da tampa. O combustível então é direcionado ao interior do tanque através de dutos que podem se dividir em vários pedaços e cada junção poderá apresentar um vazamento. O sistema de abastecimento ainda possui algumas válvulas próximas ao bocal que podem vazar ou travar gerando pressão no tanque (puf).

TANQUE

Os tanques em sua grande maioria adotam um plástico especial em sua construção e outros o metal, mas é no tanque plástico que a maioria dos pequenos vazamentos acontecem, pois o plástico é maleável e suas vedações sofrem com essa característica, mas sejamos justos, pois a aplicação do plástico é muito interessante em casos de colisão do veículo, pois ele se deforma junto com a carroceria, tecnologia muito utilizada na formula 1. A principal vedação que falha é a do módulo da bomba de combustível, mas não se preocupe, pois basta caprichar na montagem do módulo que falhas quase não ocorrerão. Agora se a montagem for deficiente ou mesmo a manutenção for feita sem atenção, o sistema vai falhar e o cheiro de combustível poderá chegar até seu nariz, e nossos videos apresentam as falhas e as possibilidades de erro na manutenção da bomba de combustível.

MANGUEIRAS E DUTOS DE PRESSÃO

Basicamente existem 3 dutos/mangueiras principais que podem vazar entre o tanque e o motor.

Mangueira de pressão:

O combustível é bombeado para os bicos injetores por um duto, e nesse caminho alguns vazamentos podem ocorrer, principalmente em engates localizados em vários pontos, incluindo o engate do filtro de combustível e a flauta dos injetores.

Mangueira de retorno

Esse duto de baixa pressão trás o excedente de combustível de volta para o tanque.

Mangueira de gases

Esse duto leva os gases evaporados do tanque para um reservatório (canister) que os acumula, sendo consumidos pelo moto em funcionamento.

SISTEMA DE INJEÇÃO

O sistema de injeção eletrônica gerencia a correta injeção de combustível no motor, mas este trabalha com combustível pressurizado através de peças, como, flautas, bicos injetores, reguladores de pressão, engates e vedações que podem falhar e permitir vazamentos.

SISTEMA DE PARTIDA A FRIO

Veículos a etanol ou flex possuem um tanquinho de gasolina montado no cofre do motor e existem várias possibilidades de vazamento nesse sistema, seja pela bomba de pressão, dutos, tampa, conexões ou de sua válvula de controle, e qualquer vazamento se torna mais evidente ao ligar o ventilador interno do veículo, pois ele puxará ar da dianteira, e é ali que fica montado o tanquinho.

ATENÇÃO

O cheiro de combustível é perigoso e uma grande dica é abastecer o veículo acompanhado de seu mecânico, para que ele possa avaliar o possível vazamento ainda no posto de combustível.

BANNER ARTIGOS

Tags: , , , , , , , ,

Categoria: Falha Motor, Injeção Eletrônica

About the Author ()

Profissional do ramo automotivo, dedicado a fornecer as informações necessárias, para a construção de uma relação positiva entre os consumidores e reparadores.